Você já ouviu falar de férias da quimioterapia (holiday)?

PorDra. Ludmila Thommen

Você já ouviu falar de férias da quimioterapia (holiday)?

Primeiro, vamos entender alguns itens importantes. Por exemplo, quando um paciente tem um câncer avançado com a presença de metástases os maiores objetivos do seu tratamento são:

  1. Aumentar a sobrevida; ​
  2. Controle da doença; ​
  3. Reduzir sintomas; ​
  4. Melhorar qualidade de vida do paciente.

É o que chamamos de tratamento paliativo ou sem intenção curativa. Sabemos que, apesar de ainda existir um certo medo que existe ao falar a palavra paliativo ou metástases, muita coisa mudou. Principalmente devido às opções aprimoradas de tratamento e da forma que estamos lidando com uma doença crônica, dependendo do local da doença.

O que é uma doença crônica?

“Doenças crônica são doenças que acompanham o indivíduo durante um tempo relativo da sua vida e, em muitos casos não há cura. Não colocam em risco de vida imediato ou a curto prazo, no entanto, elas podem ser extremamente sérias.” Apesar desta realidade, a maioria das doenças crônicas pode ser prevenida ou controlada, possibilitando viver com qualidade e bem-estar.

O entendimento da cura

Quero ressaltar também que o entendimento de cura pode ir além do sentido técnico para o nosso paciente. Dessa forma, a vida e a relação médico / paciente comporta o direito do paciente de se sentir curado mesmo estando diante de uma doença grave, pura e simplesmente por ele ter fé na cura.

As “Férias”

Existem alguns medicamentos que “dar férias” não seria uma boa ideia como por exemplo, as pausas enquanto estiver fazendo uso de certos tipos de terapias direcionadas.

É sabido que para alguns tipos mais agressivos de câncer fazer terapia continuamente mostrou ser melhor. Por outro lado, se o paciente está tendo efeitos colaterais limitantes, mesmo com redução de dose, fazer uma interrupção temporária pode ser uma opção.

Durante um tratamento prolongado temos que lembrar que o paciente pode ter objetivos de vida como viajar, estar com a família que mora longe ou comemorar alguma data importante. São situações em que fazer uma pausa pode ser uma boa opção se estiver tudo bem. Eu tento ser flexível de uma maneira que as opções de tratamento se encaixem nos objetivos do meu paciente.

Importante: discuta essas opções com seu médico pois você é único e seu planejamento do tratamento também deve ser. Pacientes com câncer tem mais a considerar em suas vidas do que apenas tratamento contra o câncer!

Dra. Ludmila Thommen Teles

Sobre o autor

Dra. Ludmila Thommen administrator

1 Comentário até agora

Manuela Flávia Rocha Pereirapostado em7:31 am - nov 21, 2019

Excelente!!! Mostrando que há inovação na visão do paciente crônico. Parabéns !!??

Deixe uma resposta