Cuidados Paliativos e Qualidade de Vida

PorDra. Ludmila Thommen

Cuidados Paliativos e Qualidade de Vida

Hoje vou deixar aqui para vocês um texto muito bom falando sobre cuidados paliativos retirado no Instagram do @oncopage.

Cuidados paliativos são cuidados de saúde integrais com o objetivo de promover a qualidade de vida do paciente e daqueles que o amam através da prevenção e alívio do sofrimento, da identificação precoce de situações possíveis de serem tratadas, da avaliação cuidadosa e do tratamento da dor e de sintomas físicos, sociais, psicológicos e espirituais.

Ao contrario do que muitos pensam, receber cuidados paliativos não significa que não haja mais nada a fazer pela pessoa, mas sim indica que o diagnóstico é de uma doença crônica que ameaça a vida e que uma equipe de profissionais qualificados e dedicados irá cuidar do paciente e dos que o cercam.

Geralmente o diagnóstico de doenças crônicas graves tende a vir com diversas questões sociais, psicológicas, físicas, espirituais e até problemas de ordem prática como a necessidade de se afastar do trabalho.

Assim, a equipe multiprofissional atua para melhorar o conforto e a qualidade de vida de quem está doente, bem como de seus familiares e amigos. Isso porque o diagnóstico afeta não apenas o paciente, mas todos que o amam. É o olhar para o todo e não apenas para uma questão específica.

A equipe é composta por médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, capelães, dentre outros, conforme necessidade.

Quando essa terapia deve começar?

O mais precoce, sempre que possível. Não é um tratamento isolado e fixo, ele pode vir associado ao tratamento curativo a fim de auxiliar no manejo dos sintomas de difícil controle e nas condições clínicas do paciente.

À medida que a doença avança a abordagem paliativa deve ser ampliada visando também cuidar dos aspectos psicológicos, sociais e espirituais.

Já na fase terminal, em que o paciente tem pouco tempo de vida, o tratamento paliativo se torna prioritário para garantir qualidade de vida, conforto e dignidade.

A transição do cuidado com objetivo de cura para o cuidado com intenção paliativa é um processo contínuo e é totalmente individualizado.

Em todas as etapas o paciente deve ser visto como uma pessoa, capaz, até o momento final, de relacionamento e de tornar a vida uma experiência de crescimento e plenitude.

Post Original: https://www.instagram.com/p/B-nROxIhOyQ/
Sigam o perfil no Instagram da @oncopage

Sobre o autor

Dra. Ludmila Thommen administrator

Deixe uma resposta