A percepção da relação médico/paciente no mundo virtual

PorDra. Ludmila Thommen

A percepção da relação médico/paciente no mundo virtual

Falar sobre comunicação digital médico X paciente é um assunto delicado, pois nesta dinâmica estão envolvidos 3 protagonistas distintos: paciente, médico e o Conselho Federal de Medicina. Este último muito preocupado com a ética entre essa relação.

É indiscutível que vivemos na era digital, onde o on-line está incorporado no nosso dia-a-dia, e não poderia ser diferente no consultório. Essa proximidade de comunicação entende a consulta “off-line” (presencial) para o digital, seja pelo WhatsApp, redes sociais, SMS ou mesmo pela ligação telefônica.

Mas essa interação tecnológica é saudável?

No meu ponto de vista, Sim! Mas como tudo na vida, é uma relação que também precisa de limites e muita cautela. Sou adepta dessas ferramentas tecnológicas e me manter disponível nos canais virtuais é uma escolha pessoal e que acredito estar relacionada ao perfil de cada médico.

Na minha visão, quais os aspetos positivos?

– Facilitar o compartilhamento de informações e de materiais educativos;
– Esclarecer dúvidas pontuais;
– Passar orientações de caráter emergencial;
– Facilitar o envio de resultado de exames;
– Tratar de questões relacionadas a um tratamento em andamento;
– Dar segurança ao paciente e que terá fácil acesso ao médico, mostrando disponibilidade.

Na minha visão, quais os aspectos negativos?

– Muitos pacientes e médicos tendem a querer definir diagnósticos e estabelecer tratamento somente via canais virtuais;
– Nem sempre conseguimos dar respostas imediatas, o que pode gerar ansiedade em alguns pacientes;
– Falta de limite no horário de envio das mensagens;

Atenção! Vale sempre ressaltar:

1 –  todas mensagens trocadas são confidenciais, tanto do médico como do paciente! Transmissão de dados por print das mensagens é antiético e não devem ser feitas;
2 – é muito importante a relação presencial no consultório! Eu, por exemplo acho que a consulta, o olho no olho, a percepção no exame físico e na história clínica é fundamental;

Devemos lembrar que a tecnologia está em nossa vida para auxiliar e otimizar nosso tempo. Mas é preciso refletir em que momento e circunstâncias ela está prejudicando qualquer área da nossa vida. No campo médico não é diferente.

A oncologia é uma frente da medicina muito sensível, onde o paciente fica debilitado física e emocionalmente. Em muitos casos a tecnologia tem aproximado médico do paciente e vice versa. Mas utilizada de forma ponderada e com muito bom senso.

Ludmila Thommen

Sobre o autor

Dra. Ludmila Thommen administrator

Deixe uma resposta